Pacientes com fibromialgia afirmam que eles são avaliados em deficiência

Muitos deles são forçados a abandonar seu trabalho

Dia da inauguração da sede.

Com enormes doses de positivismo, a Associação Fibronuba comemora seu quarto aniversário. É hora de fazer um balanço que, para seu presidente  Mamen Zapata , “é muito positivo” porque tem o objetivo de insuflar os pacientes, querendo viver o que não é pouco. Uma de suas principais reivindicações é que a fibromialgia é reconhecida como uma razão para a incapacidade. Atualmente, avalia-se se o paciente sofre de outras patologias, como doenças autoimunes ou degenerativas.

FibrOnuba  levou o testemunho de outra associação de pacientes que existia há alguns anos. Desde então, poucas coisas mudaram para essas pessoas, a grande maioria delas mulheres, para quem os avanços se refletiram preferencialmente no diagnóstico que geralmente é feito descartando-se os outros. É comum que a  Reumatologia  seja a especialidade responsável por realizar a detecção da doença. O que acontece é que os atrasos para uma primeira consulta são acionados até os 18 meses, o que significa que, em muitos casos, são os médicos de família que estão encarregados desse diagnóstico.

Felizmente, longe estão aqueles anos em que se pensava que as mulheres que apresentavam os sintomas tinham, mais do que qualquer coisa, um problema mental. Até hoje, porém, falta uma abordagem completa da doença, levando, em certos casos, à  supermedicação para os pacientes encontrarem alívio.Mama Zapata é um exemplo claro de como a doença vem à vida para deixá-la fora do local de trabalho. Ela tinha um negócio e teve que fechá-lo porque não conseguiu levá-lo adiante. Esse, é claro, é um problema de enorme magnitude que é ainda pior, com o fato de não haver essa avaliação de incapacidade, o que repercute no nível da autoestima. Em algumas áreas da Espanha, já existem casos em que são levados em conta, mas ainda são eventos isolados. A FibrOnuba já solicitou uma reunião com a delegada territorial da Saúde, Manuela Caro, para saber em primeira mão se haverá modificações no protocolo de atenção a esses pacientes.

Estima-se que na província possa haver cerca de 15.000 pessoas afetadas pela fibromialgia, das quais 90% são mulheres. Os tratamentos que recebem são puramente paliativos e se concentram em antiinflamatórios, antidepressivos e ansiolíticos. Dado este panorama, Zapata reconhece “que tratamentos alternativos como acupuntura  ou atenção plena são muito importantes  . Na própria associação, eles têm uma massagem e entendem que “seria muito importante ter um fisioterapeuta. É por isso que procuramos subsídios para poder contar com este serviço “.

A associação é grata ao Conselho da Cidade pelo seu apoio que resultou no fato de que desde o ano passado, a FibrOnuba tem uma sede no bairro de  La Orden . Em relação à idade em que o diagnóstico é feito, a grande maioria está na faixa de 45 a 55 anos, embora já existam casos de mulheres entre 30 e 40. Esta doença tem um alcance de até 50 sintomas diferentes, embora o mais difundido É dor.

Leave a Reply

Scroll to Top